5 de set de 2013

fuga da fuga

Dois velhos amigos repousam sobre o cinzeiro, é uma lapso de uma velha vida a algum tempo, e agora tempos nem tão antigos repousam sobre mim, os pensamentos vão se misturando , vagando vagarosamente sobre a noite  fria que segue...felicidade??? bem hoje não a tenho, tal qual a tristeza aos poucos fogem de mim.A paz tem me invadido ao poucos, qual o segredo pra essa paz? tenho começado aos poucos aceitar a os momentos de dor tal qual aceitei de bom grado momentos feliz...noites vem e vão e de  um senso comum não saber o dia de amanhã, e assim nos cabe viver de pouco em pouco, noite apos noite, o futuro chegara, e quando chegar já não será futuro...cães sem dono , como eu , em noites frias e chuvosas, procuram abrigo e comida, as vezes encontram conforto em linhas como as que escrevo, as linhas que traço, nem sempre é o que a vida me permite a seguir...quis e "disquis', muitas coisas, mas, nem tudo cabe a mim, sou apenas um mundo rodeado por milhares de outros mundos, tão particulares quando o meu  o é, algumas vezes esses mundo se colidem, em outros decidem colidir, algumas vezes virão dois mundos dentro de apenas um...se existe o eterno retorno do mesmo, me pego cada dias mais proximo  ao passado, só que agora é diferente, minhas fugas de mim mesmo, sempre me levam mais fundo...com o passar dos dias a vida vai se moldando e me moldando, me pego caindo no velho cliche de que  "não me arrependo de nada do que já fiz em minha vida". tudo traz alegria ou tristeza, alguns erros trazem alegria, alguns acertos trazem tristeza, algumas vezes as coisas dependem de mim , outras independem...a grande maioria dos erros que cometemos são na tentativa de acerto, e é o jeito mais nobre de se errar...eu já cometi meus erros, eu mesmo posso já ter sido um desses erros inevitaveis, mas, a vida vai indo...Entro no rio novemente, e já nem eu e nem as aguas são as mesmas, foda-se, quero apenas viver, posso sentar, escrever,e ficar com certa paz, minha cabeça sempre será turbilhão. Meus olhos pesam, as vezes penso que o mundo correu rapido demais, e eu não entendo esse lugar que eles esta agora....o novo velho homem...deixei a vida seguir...e aos poucos e devagar vou seguindo meu caminhos, disposto a sempre muda a direção quando nescessario....escrevo essas linhas como fuga de minha fuga...já não peço clemencia pra vida...hoje ficarei aqui onde quase sempre estive.

Nenhum comentário: